quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

"A Galeria de Arte" de Inês Oliveira Pires

 
Foi com grande alegria que nos dias 16 e 21 de fevereiro recebemos a nossa aluna Inês Pires, atualmente estudante do Curso de Medicina, para apresentação do seu livro A Galeria de Arte.


Sinopse:


Beatriz é uma jovem pronta para iniciar uma nova etapa da sua vida, talvez a mais aguardada ao longo dos anos. A entrada na faculdade. Associada a tal mudança surge um novo círculo de amigos, com o qual explora os aspetos inerentes à passagem pela juventude. Um retrato das vidas independentes de cinco amigos, que nos seus percursos se cruzam e se influenciam mutuamente, A galeria de arte é uma descrição da realidade atual dos jovens nas suas viagens pelo mundo das saídas noturnas, drogas de fácil acesso, descoberta do verdadeiro significado da orientação sexual, desavenças familiares e dramas entre colegas que todos vivenciam antes do ritual de entrada no mundo adulto. 






Durante 4 sessões, perante um auditório repleto, a Inês apresentou as personagens do seu livro e os enredos que se tecem à do sua volta, abordando os confrontos com a realidade com que os jovens se deparam.

Obrigada Inês, pela tua partilha!

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Trabalhos Realizados na aula de Escrita Criativa com a Professora Carla Barreto

Uma menina inquieta

Uma menina inquieta

     Era uma vez uma menina que estava sempre, ou quase sempre, à janela. Todos queriam saber por que é que ela desviava sempre os seus pensamentos para lá.
     A família estava muito curiosa. Logo que chegava a casa, ia logo para a janela e assim que ouvia barulho, ninguém a tirava de lá.
     Um dia, a sua irmã mais velha viu-a a chorar. Perguntou-lhe por que chorava. A menina respondeu que chorava porque a janela não lhe mostrava o que queria ver.
     A irmã questionou o que ela poderia querer ver. A rapariga disse que queria ver alegria no mundo, em vez de guerras, mortes e desaparecimentos misteriosos.

Rita Ramos, 7.º B

Os sentimentos de uma flor

Os sentimentos de uma flor

              Era uma vez uma flor aparentemente muito feliz e sortuda com a sua beleza.
              Porém, ninguém sabia o que ela sentia assim que se aproximavam dela para a colher, quando ouvia o barulho da máquina de cortar a relva e quando avistava as crianças que vêm da escola e não reparam onde metem os pés...
              Ela sentia medo, nervosismo e raiva pelo mundo que a rodeava!
              Um dia, morreu. Morreu como todas as outras plantas, que morrem inocentes por causa do descuido humano.


Bárbara Coimbra, 7.º B

O voo de Ditosa

              O voo de Ditosa

    Já fazia duas horas desde que Ditosa deixara a Torre de S. Miguel. Voava em direção a Sul quando chocou com outra gaivota.
    - Desculpa, este é o meu primeiro voo. - desculpou-se Ditosa.
    - Não faz mal, também é o meu primeiro voo. - respondeu Sílvia.
    - Eu sou a Ditosa. Como te chamas? - apresentou-se Ditosa.
    - Eu sou a Sílvia. Voo em direção a Sul. - afirmou Sílvia.
    - Eu também. - reconheceu Ditosa – Graças a Zorbas, aos outros gatos e ao Humano.
    - Quem é o Zorbas? - questionou Sílvia.
    - Zorbas foi o gato que cuidou de mim, desde que eu era um ovo – grasnou Ditosa - Além disso, prometeu à minha mãe que iria cuidar de mim e ensinar-me a voar. Contou-me que a minha mãe tinha chegado coberta de petróleo até à sua varanda e com as últimas forças que lhe restaram, pôs o meu ovo.
    - Esse gato não te comeu? - duvidou Sílvia.
    - Não, é claro que não! - assegurou Ditosa.
    - Zorbas parece ser um gato muito bondoso - disse Sílvia – Mas, … como é que te ensinou a voar?
    - É uma boa pergunta, Sílvia. Primeiro, Sabetudo procurou a letra «L» na enciclopédia, para ver como Leonardo Da Vinci tinha construído a sua máquina de voar – relembrou-se Ditosa.
    - Então e depois? O que aconteceu? - questionou Sílvia, ansiosa pelo resto da história.
    - Ah! - exclamou Ditosa – Tentámos dezassete vezes e caí no chão em todas as tentativas.
    - Mas então, como é que sabes voar?- duvidou Sílvia.
    - Zorbas fez o que nenhum outro ser vivo faria. Quebrou o tabu dos gatos com um humano muito simpático.- disse Ditosa orgulhosamente.
    - O que é um tabu? – questionou Sílvia.
    - O tabu dos gatos, é a sua promessa de não falar com os humanos. E Zorbas quebrou-o para me ensinar a voar, como tinha prometido à minha mãe. - concluiu Ditosa.
    - Que gato corajoso! – exclamou, divertida, Sílvia – Vejo que passaste muitas aventuras.
    - E não é tudo! - prosseguiu Ditosa – Uns tempos depois de ter saído da casca, ia sendo comida por dois gatos malvados, se não fosse Zorbas...
Depois disso apresentou- me a Colonello, Sabetudo e Secretário e, mais tarde, a Barlavento, para verem se eu seria macho ou fêmea e foi nesse dia que me batizaram.
    - Uau! Que bela história! - comentou Sílvia – Tens mais peripécias?
    - Sim, Zorbas foi até às cloacas, onde moram as ratazanas, para lhes informar que eu estava sob a proteção dos gatos. Até lhes deu passagem livre pelo pátio, só para não me comerem – descreveu Ditosa.
    Assim, as duas gaivotas tornaram-se amigas e prosseguiram o seu voo em direção a sul.


Rita Ramos 7.ºB

Some students’ opinions on the play “What’s Up Romeo?” by Cleverpants (17 February)

Os alunos foram ao teatro, ver a peça “What’s Up Romeo?” by Cleverpants, no âmbito da disciplina de Inglês e inserida no Plano Anual de Atividades.



Ficam aqui algumas das opiniões dos alunos da professora Gina André:

   “I think the play was very cool! I liked it but sometimes I couldn’t understand it. My favourite part was when Romeo was dead but still texting on his phone. I enjoyed when they called some students up to the stage. The play wasn’t like I expected. It was much better!!”
By Carolina Brites;

    “Today, we saw the play “What’s Up, Romeo?”. In my opinion, it was a nice play. The actors were funny and really good. The story talks about two lovers from different families that hate each other. The two lovers have to fight to be together forever. I ‘ve learnt something with this play. It made me realise that if we really love someone, we have to fight for that person!.”
By Fábio Lopes;

“The play was funny and lovely but some parts weren’t so funny… I think Juliet was the best because she was funny and cute. I liked when they called some students to act with them. I liked their interpretation of the story “Romeo and Juliet” by William Shakespeare.”
By Carolina Lopes;

“The play was funny and creative. The characters were very funny and handsome. The story is about Romeo and Juliet who are two rival families- The Capulets and The Montecchio. Romeo and his friend go to a party in the Capulet’s house where he meets Juliet and falls in love with her right away. In the end, Romeo thinks Juliet is dead and kills himself. I liked the play because it was very funny and had good actors. It is a good play and I recommend it to anyone who wants to have a good time!.”
By Tomás Pires;

In my opinion, the play was really good. Personally, I think the actors acted very. They were entertaining. The story of the play was very romantic and funny. I laughed a lot! ”Romeo and Juliet” is such a classic story, so “What’s Up Romeo?” was even better! I think this play was the best I’ve ever seen. I really liked it!
By Rita Reis;

The play was funny because the actors interacted with us and some students went to the stage to act with them. I liked it because it was nice to see another version of the play “Romeo and Juliet”. My favourite part was when Juliet died to the sound of the music “Wrecking Ball”. I would like to see more plays like this!
By Miguel Seixas;

“I really liked the play and I wouldn’t mind watching it again.”
By Mário Lopes;

 “I loved the way they turned the story of Romeo and Juliet into something more modern. “

By Mariana Lourenço

The perfect school – Short Story

Trabalho realizado na aula de Inglês da professora Rosa Granado.


The perfect school – Short Story

Once upon a time, there was a little guy who was named Alfredo.
Alfredo was 10 years old and he was going to school for the first time.
In his country, the school was very different. At the beginning of the year each student had to choose seven subjects. Students could choose between English, Maths, Science, History, Arts and Crafts, French, Physics, Chemistry, Philosophy, Arabian, Theater or Physical Education. Once in a while school would offer new subjects. After choosing which subjects they would like to learn, School would give them a schedule with all the times and classrooms.
In Alfredo’s school there were no classmates. He would have different friends at different subjects.
In his school there was no homework, no mandatory books, no exercises. Each and every student had the right to do exercises at home whenever they wanted. There were also no tests. At the end of the year, students had to do an exam at each subject and if they failed 2 or more subjects, they would have to repeat the year.
Alfredo was very excited because his brother, who was in the 10th grade (the last compulsory one), had told him that he would do loads of projects, art works and every subject would be very practical and useful for life.
In the middle of every year each subject would do a fair. For example, a Science Fair, where students would compete for a prize that was given to the person who had created the best invention.
In these events, some of Alfredo’s brother’s friends had already discovered things that were being used in hospitals, physics centres and in other places.
This school was the best school in Alfredo’s country because it allowed students to express themselves, create new ideas and learn something that they actually liked.
The grades were also great because, instead of pressuring students to memorize all that was taught, teachers would teach students how to think and to be logical.

Mariana Alves 11ºC

School has a very important role in youngsters’ lives

Trabalho realizado na aula de Inglês da professora Rosa Granado




School has a very important role in youngsters’ lives. Most teenagers dislike it but in reality they don’t get it. School is meant to make us more intellectually independent, to give us a proper education and the tools we need for our future jobs.
We’re not all the same and school knows it. We’re all taught the same way. Nevertheless, we must be the creators of our own path. We can’t expect school to do all the work for us: they give us the tools and teach us how to build but we can’t expect them to make us a castle when in reality they’re only there to teach.
The biggest problem in school is sometimes the students who are expecting everything without putting in a significant amount of work. School has a purpose and those who get it succeed more easily in life.
That’s my opinion. I don’t see school or its purpose as a bad thing, (of course we can still unfortunately get a teacher who doesn’t care about us and doesn’t provide us the education we need but those are particular cases).
Not everyone has the luck to go to school and so we should embrace this privilege and make the most of this experience.

Sofia Singeis 11ºE

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Concurso Nacional de Leitura - Fase de Escola

Decorreram no dia 11 de janeiro, na Biblioteca Escolar, as provas escritas para selecção dos representantes da Escola Secundária da Portela na fase Distrital do Concurso Nacional de Leitura.
No dia 20 decorreu a prova oral (leitura em voz alta) para desempate de três alunos com a mesma pontuação na prova escrita, ficando selecionados para a fase Distrital os seguintes alunos:

3º Ciclo do Ensino Básico:

Joana Carôla Bonito - 9º E
Gustavo Xavier - 7º C
Maria Inês Lourenço - 9º D

Suplentes:
Daniel Kruk - 8º E
Gonçalo Couto - 8º E

Ensino Secundário:

Guilherme Monteiro Soares - 11º A
Maria Eduarda Correia Ribeiro - 11º C
Bruna Freitas - 12º I

Suplentes:
Beatriz Teixeira - 12º I
Mariana Perpétua Alves - 11º C

Parabéns a todos os alunos que participaram nesta iniciativa promovida pela Biblioteca Escolar e pelos Professores de Português.

Obrigada a todos os professores que dinamizaram e/ou  fizeram parte do júri:

Dra. Carla Barreto;
Dra. Teresa Caldeira;
Dra. Maria João Pimentel;
Dr. Joaquim Marques.






sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Christmas Time

Love runs wild
Families unite
Happiness collides
When it’s Christmas time

Little kids with big dreams
Wait for presents to be under the tree
They believe with their whole life
That the old man will bring them here

Don’t be on the naughty list
If you want presents to exist
So behave and be kind
And you’ll get presents your whole life

When the Christmas spirit is around
Every family will be together
And Christmas will be like that
Forever and ever
  

  Mariana Lourenço, 8ºA

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Um Livro da Minha Vida : O Que Diz Molero

“Um Livro da Minha Vida”


Conforme foi anunciado e consta do Plano de Actividades da Biblioteca Escolar que foi aprovado, ao longo do ano lectivo, serão feitas apresentações subjectivas por leitores convidados de uma obra que os tenha marcado em sessões abertas à comunidade.
No passado dia dois de Novembro realizou-se a primeira apresentação. 

Joaquim Marques transmitiu à comunidade de leitores presente as suas impressões de leitura de “O Que Diz Molero” de Dinis Machado.


Da narrativa delirante escrita num registo policial absurdo, foram caracterizadas as personagens únicas cujos traços bem reais e reconhecidos ainda se encontram nos bairros típicos de Lisboa.

Um dos aspectos referidos pelo apresentador foi o dos múltiplos referentes de linguagem; a espontaneidade popular, o deleite literário e a sensibilidade poética, entre outros.

Houve ainda oportunidade para se falar de futebol e de boxe e inevitavelmente de cinema, essa arte e prazer que Dinis Machado durante toda a sua vida celebrou.



No fim da sessão foi apresentada a cena final O Guarda da Última Fronteira – da adaptação para Teatro que António Feio e José Pedro Gomes gravaram da obra para a Televisão Pública.




terça-feira, 22 de novembro de 2016

Dia da Filosofia - O Nome da Rosa


No dia 18 de Novembro a BE (Biblioteca Escolar) e o Grupo Disciplinar de Filosofia assinalaram o Dia da Filosofia com a realização de uma comunicação temática pelo Prof. Joaquim Marques.

Esta comunicação organizada em cooperação com a Profª Isabel Martins destinou-se à turma 10 A de que a professora é titular e subordinou-se à temática:

“O Nome da Rosa. O livro e o filme”


A abordagem apresentada foi literária, cinematográfica e filosófica.





Perante uma plateia interessada e participante, foram apresentadas  algumas perspectivas de interpretação, nas áreas referidas.


Foi transmitida ao auditório uma breve mensagem da Profª Rosa Silva responsável pela BE que por razões e força maior não pôde estar presente.

Para além da turma 10 A assistiram alunos  das turmas 10 C,10 D e 10F, bem como as Directoras do Agrupamento Marina Simão e Margarida Martins.

Joaquim Marques


sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Dieta Paleo XXI

14717046_10157619876735203_3782991574914380586_n
Na sequência de um simpático convite feito por uma das professoras da Escola Secundária Arco-Íris (Portela), a PALEO XXI fez mais uma aparição no mundo escolar. Uma sessão com duas horas de duração onde tentei fazer um enquadramento das principais questões que nos preocupam enquanto cidadãos e relativamente à alimentação, a importância da informação e do pensamento crítico, para depois abordar a evolução desde o paleolítico até aos dias de hoje, terminando com a proposta lógica da Paleo que defendemos.
20161020_140656 



Foi mais uma experiência enriquecedora! Sala cheia, miúdos e professores, interessados e bem comportados (sim, os professores também!) a quem deixo publicamente o meu agradecimento pelo acolhimento! Espero que tenham gostado da minha visita também!







E obrigado também pela simpática lembrança! Feito por Vós tem todo o valor e lembrar-me-à desta agradável experiência.

Um especial agradecimento à professora Patrícia pela coragem em levar o tema à sua escola e uma vénia à Direcção da mesma que me acolheu!

Francisco Silva

 Estiveram presentes os alunos das  turmas 12º B e 7º G, professores, auxiliares de ação educativa e todos os elementos da Direção.

O 7º G esteve em grande!
O Abel e o Fábio fizeram as honras da casa apresentando o nosso convidado. 
O Alex e a Nicole estiveram na mesa.

Obrigada Francisco pelas dicas, esperamos que os nossos jovens optem por uma alimentação saudável.   

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Concurso Nacional de Leitura

"Porque ler nos engrandece e nos ajuda na construção dos sonhos"

PARTICIPA!

OBRAS A LER

3º Ciclo:
Harry Potter e a Criança Amaldiçoada de J.K. Rowling

Harry Potter e a Criança Amaldiçoada (Harry Potter and the Cursed Child) traz de volta as personagens mais carismáticas da série: Harry, Ron e Herminone, agora adultos, e os respetivos filhos, assim como desafios novos… e antigos:

- O que aconteceu depois de Hogwarts?

- E com o fim de Voldemort, estará o mal erradicado de vez?
A oitava história. Dezanove anos depois.


Secundário:
Livro de José Luís Peixoto

Livro tem como cenário a extraordinária saga da emigração portuguesa para França, contada através de uma galeria de personagens inesquecíveis. 
Entre uma vila do interior de Portugal e Paris, entre a cultura popular e as mais altas referências da literatura universal, revelam-se os sinais de um passado que levou milhares de portugueses à procura de melhores condições e de um futuro com dupla nacionalidade. Através de histórias de vida, encontros e despedidas, somos conduzidos a um final desconcertante...

Inscreve-te até dia 21 de novembro na BE

Provas - 11 de janeiro pelas 14:35 h na BE

Representa a nossa Escola na fase Distrital!